Tecnologias proporcionam economia de água na construção civil

9829a4e9-567d-47f4-8dd6-54579ae86bb7

A crise do abastecimento de água que assola todo o Brasil está fazendo com que a população e os empresários repensem o consumo dos recursos hídricos do País. No segmento da construção civil não é diferente: o setor é um dos consumidores de recursos naturais e, segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), é responsável pelo uso de 16% de toda a água potável. Essas fontes são utilizadas desde a produção de insumos, passando pela execução da obra até a sua operação ao longo dos anos. Para poder driblar a escassez e assumir um comportamento de preservação da natureza, a Conartes Engenharia vem adotando algumas práticas que visam à economia da água nos projetos. “Temos ciência dos riscos de racionamento e consequências para o meio ambiente, por isso nossos projetos estão sendo pensados com medidas que evitem ou, ao menos, minimizem esses impactos”, garante o Gerente de Comunicação da Conartes, Thiago Xavier Gonçalves.

Uma novidade nos empreendimentos da Conartes e que já será implantada em seus lançamentos – como o Edifício Gran Maggiore e o Condomínio Bordeaux Residence – é o sistema de reuso de Águas Cinzas. Nesse processo, a água utilizada nos banhos e pias dos banheiros dos apartamentos é transferida para um compartimento onde é feito um tratamento para que possa ser reutilizada na irrigação dos jardins, por exemplo. “A estimativa é conseguir economizar até 5 mil litros por dia, aproximadamente, em cada um dos edifícios”, analisa Xavier.

Nesse período de obras, etapa que consome mais recursos e gera mais resíduos, a Conartes vem optando por manusear materiais que são mais sustentáveis e que gastam menos água. Além disso, alguns empreendimentos utilizam poço artesiano durante a construção – que, em alguns casos, pode até permanecer para o uso do condomínio depois de pronto, para a irrigação de jardins.

Outro método adotado é o uso de descargas econômicas em todos os edifícios da empresa. O sistema Dual Flash, como é conhecido, regula o fluxo da água em dois estágios distintos, um para dejetos sólidos e outro para líquidos. “As descargas para líquidos gastam menos água, o que significa que a partir do uso dessa tecnologia conseguimos gerar uma economia de até 50%”, argumenta o gerente. E as boas atitudes não param por aí:torneiras automáticas serão adotadas nas áreas comuns dos próximos empreendimentos.

A empresa também adota medidas para reduzir o consumo de energia elétrica, uma vez que o seu uso consciente também está associado à crise hídrica, já que o sistema energético brasileiro é formado basicamente por hidrelétricas:- Os empreendimentos possuem aquecimento de água por energia solar, que é renovável e ecologicamente correta, além de gerar economia para o condomínio.

– Os metais (torneiras e registros dos chuveiros) são monocomando, o que significa que com apenas um comando o usuário controla a vazão e mistura a água – quente e fria – para obter a temperatura desejada, o que proporciona economia energética. Além disso, as torneiras possuem sistema que mistura ar à água, otimizando o seu melhor aproveitamento.

– Os revestimentos externos são em placas de granito ou porcelanato, assentados no sistema ‘aerado’, com ‘inserts’ metálicos, proporcionando maior conforto acústico, térmico, além de beleza e durabilidade.

– São utilizados sensores de presença para o acionamento de iluminação em alguns locais, com acendimento e desligamento automático – o que trás economia de energia elétrica ao condomínio.

– As fachadas com pele de vidro refletivo proporcionam maior iluminação natural e economia de energia.

– As janelas dos apartamentos são construídas buscando atingir o maior vão possível. Grandes janelas são sustentáveis, pois proporcionam maior acesso à luz e ventilação natural, economizando também energia elétrica.

O Gerente de Comunicação da Conartes, Thiago Xavier Gonçalves, ainda ressalta a importância de instaurar uma postura de consciência ambiental entre todos os colaboradores da empresa por meio do Jornal Mural interno (comunicação interna). “Temos reforçado, junto aos funcionários, a importância do uso adequado da água nos processos construtivos e também no escritório, para que todos saibam a importância das nossas ações e  possam conscientizar seus familiares e amigos sobre a gravidade do assunto”, conclui.

Fonte: http://www.obra24horas.com.br/materias/tecnologia-e-sustentabilidade/tecnologias-proporcionam-economia-de-agua-na-construcao-civil